Agora são os mijões!

Depois da matéria do Fantástico sobre o lixão nas praias, agora é avez dos mijões de rua. Pensei que Salvador fosse levar o título mais uma vez. Perdemos para João Pessoa.

E fiquei amarradão com o que vi sendo feito no Rio de Janeiro antes mesmo desta matéria ir ao ar. Lá os mijões quando pegos em flagrante são detidos, vão para a delegacia e depois ficam respondendo a um processo judicial que pode acabar em multa ou cadeia.

E se lembrarmos ambém da questão do lixão nas praias, lá na cidade maravilhosa a fiscalização tá jogando duro. Vão reorganizar, recadastrar e padronizar os ambulantes exigindo que cuidem da praia e divulguem as campanhas informativas sobre o assunto.

Afinal de contas o uso do espaço público para a atividade comercial é uma concessão que deve contemplar uma contrapartida, e nada mais justo que os comerciantes de praia se submetam a regras e padrões de conduta por ocuparem uma área que é de todos nós.

Assim também o xixi pelas ruas. Além de estarem degradando os espaços públicos estão ainda realizando atos ofensivos à população.

E nos dois casos, o do lixão e o do mijão, nada de excepcional está sendo feito pela prefeitura do Rio além de se cumprir a lei que sempre existiu para ser aplicada.

Em Salvador, terra da permissividade plena, nada de concreto foi, sequer, ventilado até agora pelos órgão públicos. E isto é grave já que o não cumprimento da lei por quem tem o dever de oficio de observá-la e executá-la enseja em responsabilidade passível de ação judicial. Quem vai acionar a prefeitura na justiça?

E mais uma vez devo manifestar minha indignação com nossos formadores de opinião midiáticos como os artistas do carnaval, nossos publicitários, imprensa e demais atores deste cenário de mobilização das massas, por não terem aproveitado esta oportunidade ímpar do carnaval para fazerem a sua parte.A cidade poderia estar mais limpa e menos fedorenta.

O movimento contra o lixão e os mijões deve ser articulado e constante pois assim é o processo educativo.

O que me deixa chocado é perceber que a propaganda da cerveja, a bebida mais consumida no carnaval, é liberada de todas as maneiras em qualquer horário e espaço sem que campanhas informativas de interesse público sejam associadas a elas. Tem até artista de peso mandando a galera beber no “aumentativo” nas telinhas da TV. Curioso é que a citada artista instiga a galera mas não dá nem um golinho..

Me preocupa a dimensão do carnaval, o poder dos “donos” da folia que bancam o marketing e o alcance indiscriminado disso tudo. A juventude é alvo fácil e mesmo sabendo que o alcool é a porta de entrada para o mundo das drogas, o carnaval da Bahia, a exemplo de outras grandes festas, está completamente dependente do produto como um próprio alcoólatra.

Mérito para o poder e o marketing das empresas do setor que em transações eminentemente comerciais atropelam o interesse público com a anuência dos próprios governos.

Dá até para imaginar a cerveja sem o carnaval, mas o carnaval sem a cerveja, jamais!

Ao tempo em que se discutem medidas para conter o aumento do consumo de bebidas alcoólicas pelo país, o carnaval da Bahia faz o contrário, e muito bem feito. Queria ver o carnaval sem cerveja, sem bebidas alcoólicas. Queria ver os indices de violência diminuindo, a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis caindo pela metade, os gastos com saúde pública sendo reduzidos drasticamente, as ruas mais limpas, nossa gente mais endinheirada ao final da folia e os mijões de rua sendo extintos.

Pense como seria  o carnaval sem bebidas alcoólicas e me responda: voce seria capaz de curtir o evento com a mesma alegria e prazer? Sua resposta vai dizer o quanto voce realmente gosta da festa e ainda o grau de vulnerabilidade que se encontra em relação ao poderoso arsenal de marketing diariamente bobardeado em sua mente pela industria de bebidas, em especial de cerveja.

Reflita com a plenitude de sua consciencia e não precisa assumir em público se o resultado for de dependência, se isto lhe causar desconforto.

Apenas se lembre quando estiver “embalado” e meio “embolado”  pelas ruas durante o carnaval, após alguns latões, que pelo menos o mijão deve ser feito em local adequado.

Assim voce vai estar enriquecendo as cervejarias sem, pelo menos, estar empobrecendo nossa cidade.

Ah, e antes que pensem que sou contra a cerveja e as bebidas alcoólicas, não é nada disso pois adoro tomar umas e outras. Só que como o lixão e o mijão pelas ruas, as leis precisam ser cumpridas também em relação à cerveja e as demais bebidas alcoólicas.

Drogas que pode causar dependência e tem relevante influência negativa sobre diversas questões de interesse público. Aí estão os mijões para provar!

5 thoughts on “Agora são os mijões!

  1. No inicio do ano notei e mandei um comentario sobre o fato ao Espaco do Leitor, do Jornal ATarde, sobre o mictorio público instalado no Monumento Comemorativo da Chegada de Tomé de Souza no Brasil, na Praia do Porto da Barra.
    Não sei se publicaram ou nao, mas o ponto que evidenciei foi que, alem do desrespeito a um local que poderia ser atrativo turistico, a Guarda Municipal de Salvador, deveria estar cumprindo com sua atribuicao de preservar os bens da cidade e fazer com que os mijões fossem repelidos, etc.

    • Caro Ruy, e hoje fui dar uma olhadinha no carnaval da Barra e fiquei enojado com tanto lixo pelas ruas e pelo mar. Fiquei observando uma multidão de pessoas sentadas pelas ruas em meio a toda aquela lambança, muitos bêbados desacordados, outros cansados tirando aquele “bode” e uma maioria apenas marcando lugar na folia praticamente dentro de uma lata de lixo gigante. Me pareceu que o carnaval de Salvador é uma enorme celebração à degradação da nossa cidade. E não há um artista que fale algo, que se importe com tamanha falta educação, com tamanha involução da nossa gente. Fico me perguntando se o Nizan Guanaes não tinha razão ao dizer que o carnaval de Salvador parece mnais um “careca acreditando que tem tranças”. E fui também ao camarote OCEANIA e lá dentro o lixão também tomava conta dos espaços. Uma vergonha…

  2. Realmente estamos muito mal servidos no sentido de nossos politicos estarm preoculpados com a limpeza e preservaçao das praias.
    Fico triste e sem saber o q fazer para mudar esta situaçao. Acabei de chegar da California e as coisas por la sao muito diferentes do que vivemos por aqui.
    Ta brabo e que cada vez a coisa vem piorando. Muito mendigo na rua muita falta de educaçao…
    o povo sr sabe de festa e o resto q se dane…

    • Caro Zé, vamos em frente nos organizando e discutindo soluções. O importane é a união de esforços de maneira organizada e neste sentido estou participando de um movimento chamado PORTO LIMPO, PORTO LINDO, com diversas ONGs para atuar aqui na praia do Porto, inicialmente. Te falo das próximas reuniões. Abço e valeu a visita no blog.

  3. Grande Bonga,

    Parabéns pelo blog! São atitudes assim que geram resultados, agora e lá na frente. Vamos plantar, pra colher, e combater as pragas também. É um absurdo o que estão fazendo com nossa cidade, nossa Baía de Todos os Santos e nossas praias. Mas esse cenário mudará, tenho certeza. Tô dentro aí do movimento PORTO LIMPO, PORTO LINDO. Mais um soldado se alistando… Dê o toque…Abraço,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s